SHAMEL PITTS | EUA

Espetáculo: “Black Velvet: Architectures And Archetypes”

Workshop: Oficina de movimento – Black Velvet

Ministrantes: Shamel Pitts e Mirelle Martins

Dia: 09 de junho | 17:30h às 20:30h |CCBB - Sala 26

Nº de participantes: 20 pessoas

Público-alvo: Bailarinos e não-bailarinos acima de 16 anos.

Obs: Roupas confortáveis e meias.

Fotos e vídeos não podem ser feitos sem o consentimento dos ministrantes. Não é possível ficar assistindo ao workshop sem fazer a aula.

Será exibido filme documentário Black Velvet/Black Hole.

Sinopse do Workshop: A oficina é baseada na pesquisa que Mirelle e Shamel fizeram para a criação de “Black velvet: Architectures And Archetypes”. A potência de estranhos se tornarem parceiros. Aprofundar-se em ouvir o que existe entre nós, dentro de nós e ao nosso redor. Num empenho para admitir que semelhanças e diferenças existam lançar-se em altos níveis de conexão e resistência. Participar da descoberta de pequenos gestos que estabelece uma conexão totalmente com o momento.

Sobre Shamel Pitts:
Shamel Pitts é um artista performático, coreógrafo, artista conceitual, dançarino, artista da palavra falada e professor. Shamel recebeu o Prêmio Princess Grace Award de 2018 em Coreografia. Ele ganhou um BFA em dança pela Juilliard School (recebendo o Prêmio Martha Hill de Excelência) e começou sua carreira de dança profissional com BJM_Danse Montreal e Mikhail Baryshnikov’s Hell’s Kitchen Dance. Shamel continuou sua carreira na Batsheva Dance Company por 7 anos. Ele é professor de Gaga, e lecionou para Batsheva Dance Company e The Young Essemble. Shamel foi no corpo docente professor convidado para projeto Invenção do Movimento, SPRINGBOARD DANSE MONTREAL, Netherlands Dance Theatre Summer Intensive, SUNY Purchase e The Juilliard School Summer Intensive. Shamel é um artista residente na Universidade de Harvard e professor adjunto do The Juilliard School. Ele vem se apresentando com Sharon Eyal e Gai Behar’s L-E-V

Dance Company, e encena o repertório de Naharin em companhias do mundo todo.

Simultaneamente, Shamel continua a criar seu próprio trabalho com uma tribo artística colaborativa.