FLÁVIA PINHEIRO | RECIFE

Espetáculo: “Enchente”

Workshop: Velocidades, intensidades e abismos
Ministrante: Flávia Pinheiro

Dia: 09 de junho | 09h30 às 16h30 com 1h de intervalo entre 13h30 e 14h30 | CCBB Sala 26  

Nº de participantes: 20 pessoas

Público-alvo: pessoas interessadas em pesquisa do movimento

Sinopse do Workshop:

Investigar os abismos do corpo que falha, articular suas dispersões e repadronizar suas respostas aos diferentes estímulos, modulando suas velocidades e ampliando suas potências. Como deixar-se cair frente ao abismo? O que segurar e soltar para deixar mover? Trabalhar a fragilidade como potência. A utopia de se manter vivo frente ao futuro em ruínas. O curso busca habilitar o corpo para entrar e sair do chão em diferentes contextos e dinâmicas. Evidenciando a queda eminente , o deixar de fazer e o soltar utilizando a gravidade.

Sobre Flávia Pinheiro:

Diretora, coreógrafa, dançarina e performer, Flávia Pinheiro vive e trabalha em Recife. Pesquisa o corpo em movimento em relação a diferentes dispositivos. Sua obra atravessa os campos da performance, do vídeo, da instalação e da intervenção urbana. Em colaboração com artistas de diferentes linguagens, desenvolve experimentos que envolvem Arte e Tecnologia.

Com a instalação interativa "Aires de cambio", criada com Leandro Olivan, participou da Exposição Interactivos 2012, na Fundação Telefônica, em Buenos Aires, e desde então pratica e explora diferentes maneiras de se movimentar em um treinamento contínuo para sobreviver ao fim do mundo. Ao longo dos últimos 15 anos como artista independente na cidade do Recife, Flávia Pinheiro tem desenvolvido uma investigação artística, em formato solo, que questiona um corpo em queda constante, que se desmembra, se decompõe, colapsa sobre si mesmo e sobre o próprio fazer na dificuldade de sobreviver em um ambiente precário e hostil. Atualmente, investiga in vitro as bactérias no contexto insalubre da cidade do Recife, o que resultou em uma série de procedimentos de imagem e de performances, numa luta artística contra os antibióticos.

Em 2016, Flávia foi premiada com a bolsa Funarte para formação em artes cênicas, o que a levou a estudar no Centre Nacional de la Danse CND/Pantin, na França. Com as obras "Como manter-se vivo" e "Contato sonoro", participou do Circuito Palco Giratório do SESC e de importantes festivais do país. Recentemente, recriou a performance "Enchente", em que passou a atuar em cena, e tem apresentado a performance parlante “Antílope” junto ao artista sonoro Yuri Bruscky.

Flávia é graduada em Artes Cênicas na UFPE, cursou mestrado em História da Arte na UNSAM-Universidad de San Martin, é pós-graduada em artes visuais-linguagens artísticas combinadas na UNA, e em 2017 iniciou a sua formação como terapeuta corporal - BMC Body Mind Centering. Também trabalha como pesquisadora e facilitadora de processos pedagógicos e curatoriais, e foi professora substituta em licenciatura em dança na UFPE.